17.3.09
... o fotógrafo alimenta a fotografia com a sua historicidade ou leitura do mundo...
s/título © Rui Hermenegildo


... mas depois de a abandonar, nunca a realidade por ele mediada recupera a sua composição original ou pretendida, transformando-se em narrativa secundária.

O mesmo acontece com um fenómeno que a física apelida de histerese, característico de alguns sistemas cujas propriedades dependem da sua história precedente, ou seja, em que duas grandezas físicas mantêm uma relação de dependência não linear. Histerese significa, portanto, que o sistema conserva propriedades de que não dispunha quando a acção termina e o estímulo desaparece. Estamos perante aquilo que se pode designar como “física hereditária” ou a história do corpo ou sistema considerado.

Cada uma das fotografias desta exposição encontra-se carregada com a minha historicidade, mas apesar da narrativa hereditária nenhuma mantém apenas as propriedades que lhes pretendi imprimir, encontrando-se em histerese.*

Assim as excelentes fotografias e textos - assim a histerese - do fotógrafo Rui Hermenegildo, meu querido amigo, para ver na Trem Azul, à Rua do Alecrim, em Lisboa, até 12 de Abril.


* Rui Hermenegildo, Histerese, Lisboa 2009.
 
posted by Eduardo Brito at 12:34 da tarde | Permalink |


2 Comments:


At 2:51 da tarde, Blogger Olavo Lüpia

Incrível.
Passei ao lado da Trem Azul na 5.ª feira à noite e achei estranho aquilo estar aberto e com convivas.
Se soubesse o que se passava tinha entrado - como vou fazer um destes dias.
Abraço.

 

At 7:34 da tarde, Anonymous JC

Nem sempre será assim, Rui.
Há ocasiões em que o fotógrafo, através de pura encenação, cria a narrativa ou inventa uma realidade que não existe fora da foto que a apreendeu. Aí não há qualquer mediação, apenas ficção.
Pessoalmente, prefiro o "teu" género de fotografia, aquele que capta a narrativa em movimento, transformando a foto na tal narrativa secundária de que falas, dependente da visão subjectiva que o fotógrafo tem, daquele pedaço de realidade.
Parabéns pela exposição, temos de beber um copo e discutir estas e outras coisas, um destes dias...