28.6.08
we are the pigs.

Fotogramas de Stray Dogs, de Richard Kern e de Killing of a Flashboy, de David e Raphael Vital-Durand.

Etiquetas:

 
posted by Eduardo Brito at 4:30 da tarde | Permalink | 0 comments
26.6.08
tratado.

"Une des choses qui impose le plus à l'homme c'est une superbe Pont sur un grand fleuve, & la hardiesse des grands Arches, composées d'une infinité de petits materiaux"

Hubert Gautier, in Traité des ponts, ou il est parlé de ceux des Romains & de ceux des modernes ; de leurs manieres, tant de ceux de maçonnerie, que de charpente ; & de leur disposition dans toute sorte de lieux. Des projets des ponts, des matériaux dont on les construit, de leurs fondations, des echafaudages, des cintres, des machines, & des bâtardeaux à leurs usages. De la difference de toute sorte de ponts, soit dormans, ou fixes ; soit mouvans & flotans, volans, tournans, à coulisses, ponts-levis à fleche, & à baccule, &c. Avec l'explication de tous les termes des arts qu'on employe à la construction des ponts, & les figures qui démontrent leurs differentes parties. Et les edits, declarations, arrests & ordonnances qui ont été rendus à l'occasion des ponts & chaussées, ruës, bacs, rivieres. Des coûtumes observées sur ce fait. De leur entretien. Des garanties. Des peages, & des reglemens sur les carrieres. 1716.
Paris, Chez la Veuve Duchesne 1765. 4th edn, pág. 10.



 
posted by Eduardo Brito at 10:01 da manhã | Permalink | 0 comments
24.6.08
duas frases.

"All Afternoon He Sat In The Stalls"
Ilustração de
Sidney Paget


Quando Bernardo Valentim Moreira de Sá, músico e pedagogo nascido em Guimarães no ano de 1853, gentilmente pediu ao violinista Pablo Sarasate que lhe escolhesse um violino de concerto, aquando da visita deste ao Orpheon Portuense, estava longe de imaginar que as palavras que o espanhol endereçaria ao mestre de instrumentos Gustave Bernardel, dizendo "Querido Bernardel, el violino de Guadagnini que destina usted para el señor Moreira de Sá es un verdadero instrumento de virtuose" seriam escritas no camarim do St James's Hall, em Londres, instantes depois de actuar com o referido violino e de receber os cumprimentos do detective Sherlock Holmes que, meditativo e "envolvido na mais perfeita alegria", assistira à actuação do violinista. Corria o dia 10 de Outubro de 1890.


Foram estas duas frases inspiradas na página trinta e sete do livro Memórias e Recordações, da violoncelista Madalena Sá e Costa, bem nas páginas 139 e 141 de The Adventures Of Sherlock Holmes - The Red-Headed League, de Arthur Conan Doyle, pub. 1891 no Strand Magazine - ed. facsimilada da Wordsworth Classics, 1992. As citações pertencem às obras indicadas.

Etiquetas:

 
posted by Eduardo Brito at 10:08 da manhã | Permalink | 0 comments
23.6.08
fim de semana.
© Eduardo Brito.
 
posted by Eduardo Brito at 9:44 da manhã | Permalink | 4 comments
15.6.08
a feliz aclamação.
Photobucket
 
posted by Eduardo Brito at 7:55 da tarde | Permalink | 0 comments
13.6.08
a divina desordem: cidadela silenciosa.


Toute la Mémoire du Monde, Alain Resnais, 1956, 21 minutos.

Etiquetas:

 
posted by Eduardo Brito at 3:50 da tarde | Permalink | 0 comments
12.6.08
a divina desordem: a lembrança da memória.
"Nothing sorts out memories from ordinary moments. Later on they do claim remembrance
when they show their scars."

La Jetée. Chris Marker, 1962, 28 minutos.

Etiquetas:

 
posted by Eduardo Brito at 1:56 da manhã | Permalink | 0 comments
11.6.08
a divina desordem: elementos fabulosos.
"Um exemplo vem-me à memória: aquele de Maria Grazzini, cantora no Scala de Milão. Em 1805, Napoleão, a caminho de Veneza, pára em Milão e conhece Maria Grazzini. Acha-a deslumbrante, divertida e leva-a com ele. Rapidamente, pois então, deixa-a ao largo de Vicenza ou da Riviera Brenta. A história poderia parar aqui e ficar-se como uma peripécia secundária na vida de Bonaparte. Mas não. Maria Grazzini nasceu em Nice, a cidade onde Napoleão Bonaparte é iniciado na maçonaria. Alguns anos mais tarde, por alturas da batalha de Waterloo, Maria Grazzini é amante de Wellington, também ele maçon. E aqui isto começa a tornar-se interessante... Napoleão, logo que regressa da ilha de Elba e inicia o Governo dos Cem Dias desembarca em Nice! Algumas semanas depois, encontra-se face a Wellington, que tem um caso com uma das suas antigas amantes. Napoleão entrega-se à Batalha de Waterloo e nesse preciso dia é vitima de uma terrível disenteria. Não conheço exactamente a etimologia de Waterloo, mas sei que está relacionada com água. Como é que uma história destas é possível? Como é que ainda ninguém reparou nisto? O que se passou entre Maria Grazzini e Wellington nos dias que antecederam esta batalha? (...) E o que é mais interessante ainda é que Blücher, de quem acabou por depender o desfecho da batalha, também tinha Maria Grazzini debaixo de olho. Recapitulando todos os elementos: Maria Grazzini, Nice, a loja de Nice, Wellington, Blücher... Não posso deixar de ficar espantado, fascinado, pelo facto do destino da Europa ter sido traçado sob um fundo sentimental. Encontrar todos estes elementos fabulosos que parecem saídos da imaginação, é isso que me interessa."

Hugo Pratt, entrevista a Eddy Devolder, Tandem, Dezembro 1989, in Corto Maltese, Littérature Dessiné, ed. Casterman, 2006, pp 133 e 134.

Etiquetas:

 
posted by Eduardo Brito at 9:58 da manhã | Permalink | 0 comments
10.6.08
dez de junho.
"A ideia pareceu-lhe tão forte quanto necessária, perfeito modo de expressão da alma do país: uma greve à recolha do lixo e com ela a celebração da porcaria, a consagração do sujo, o cântico da desesperança, o abraço às epidemias."
 
posted by Eduardo Brito at 12:01 da manhã | Permalink | 0 comments
9.6.08
ruc, 2003.
Photobucket


Dezassete fotografias da Rádio Universidade de Coimbra, expostas no seu décimo sétimo aniversário, em dois mil e três, para ver ou rever aqui.
 
posted by Eduardo Brito at 1:25 da manhã | Permalink | 0 comments
2.6.08
cê de convívio.
A programação de Junho do Convívio, associação cultural e recreativa com sede em Guimarães, pode ser consultada aqui.
 
posted by Eduardo Brito at 11:02 da tarde | Permalink | 0 comments