16.4.08
culto.




The Memoirs of Barry Lyndon, de William Makepeace Thackeray, ilustradas por T. H. Robinson, numa pequena edição da Collins' Clear-Type Press, sem data, pertença, há noventa e dois anos, da senhora May Fleming, que a assinou a 29 de Dezembro de 1915.
Uma nota para os cultores do universo Barry Lyndon: nas palavras de Thackeray, Chevalier de Balibari é nem mais que Barry of Ballybary, tio de Redmond.


Barry Lyndon - Motion Painture
 
posted by Eduardo Brito at 12:15 da tarde | Permalink |


4 Comments:


At 10:54 da tarde, Blogger Daniel MP

God damn it! You`ve found it!

 

At 10:58 da tarde, Blogger gustavosampaio

gostas mesmo do filme!

 

At 4:10 da manhã, OpenID dactilografo

continuas com essa atitude e não recebes nenhumas gazelle.

 

At 11:24 da tarde, Blogger EB

Sim, um cultor de BL. Depois do dvd, da banda sonora em cd e vinil, de inúmeros ensaios em livros e em pdfs, finalmente apanho o livro de WMT, cuja história do seu achamento ainda irei inventar. Falta o essencial: ver o filme, projectado em película, num cinema a sério.