28.2.08
low profile - anthony trelawney long.
 
posted by Eduardo Brito at 10:31 da tarde | Permalink | 0 comments
25.2.08
low profile.
A toponímia diz que ali é o Largo Condessa do Juncal. Mas toda a gente o trata por Feira do Pão, nome bonito, antigo e humano, tão humano. É um lugar discreto, arrumado no interior do centro da cidade. Quando por lá se passa nas tardes de sábado, o passo desacelera com as melodias que caem do edifício da Academia de Música. Um clarinete em espirais, um violino em afinações abrem a porta para o largo propriamente dito. Aí, bem lá no meio, nas épocas de estio há uma esplanada nojenta, de serviço descuidado e miserável. Nos bancos de jardim debaixo do arvoredo ressacam bêbedos e drogados, distantes do tempo que por ali passa. Porém, o largo é um lugar tranquilo, com um charme próprio, onde o vento, os pássaros e alguns berros cortam o silêncio em três.

Do Largo da Feira do Pão sai-se para os seguintes lugares: para a Praça do Toural, mais ampla e aberta, coração da cidade, pela Porta Nova, assinalada no chão de granito; para a rua da Arrochela, paralela à muralha da cidade, com casas de corredores suspensos que a atravessam de um lado ao outro; para a rua do Anjo, sinistra e escura, que desemboca outra vez no Largo e cujo enfiamento se interrompeu pelo ruir de um prédio; para a Tulha, elegante quarteirão com três barbearias em trinta e nove metros; para a Alameda de S. Dâmaso, pejada de autocarros e passeantes, pelas escadinhas do Mestre Caçoila; para a Rua Nova, estreita e curva, de casas esguias e tortas, cheia de tabernas e lençóis a secar e mulheres à janela;.

Na Feira do Pão há uma feira do livro. Uma barraca branca, arrumada, de interior escuro, onde as editoras escoam os últimos exemplares de várias edições, raras novidades, livros velhos e gastos e edições noutras línguas. Lá pelo meio, encontro um nome, Anthony Trelawney Long que, em edição de autor, publicou há vinte e oito anos um livro de sessenta páginas chamado “Low Profile”. Por um euro e cinquenta, trago-o comigo para casa.
 
posted by Eduardo Brito at 9:07 da tarde | Permalink | 2 comments
polaris ano um: mais actualizações.
Um filme, um lugar fantástico, uma história, um postal, um lugar, um explorador, um fenómeno natural, uma imagem: eis a lista de actualizações do Polaris, para lhe assinalar o ano um. Posto isto, uma pausa merecida e uma tentativa de um-post-por-semana-um. A ver vamos.
 
posted by Eduardo Brito at 1:02 da manhã | Permalink | 0 comments
18.2.08
um ano e três dias: polaris actualizado.
O Polaris, blog sobre o Círculo Polar Árctico, as suas histórias e o seu imaginário, fez um ano. Para assinalar a data, algumas inciativas a ver e a ler aqui. Para começar, a Balada de John Franklin.
 
posted by Eduardo Brito at 11:42 da tarde | Permalink | 0 comments
ex aequo.
Photobucket
© Eduardo Brito s/d.

Crunia Maris, tu dizes no fim de tarde de inverno vamos embora vamos apanhar um barco para Southampton, tem de ser, insistes. Eu respondo cobarde bebe mais uma, já pensamos melhor no assunto, adio, e acabamos por ficar três dias nisto.
 
posted by Eduardo Brito at 8:47 da tarde | Permalink | 0 comments
13.2.08
imagem metafórica.
Photobucket

Este é o olhar de Kyson Stowell, 11 meses, sobrevivente de um furacão que o projectou cem metros em Castilian Springs, Tennessee.


Fotografia © Associated Press
 
posted by Eduardo Brito at 11:26 da tarde | Permalink | 0 comments
11.2.08
coimbra 2003.
© Eduardo Brito

 
posted by Eduardo Brito at 5:13 da tarde | Permalink | 2 comments
coimbra 2006.
© Eduardo Brito
 
posted by Eduardo Brito at 5:12 da tarde | Permalink | 0 comments
coimbra 1997.
© Eduardo Brito
 
posted by Eduardo Brito at 5:09 da tarde | Permalink | 2 comments
7.2.08
coimbra 2000.
© Eduardo Brito / A Cabra
 
posted by Eduardo Brito at 10:47 da tarde | Permalink | 2 comments
referênciasp.
 
posted by Eduardo Brito at 10:43 da tarde | Permalink | 0 comments
1.2.08
wraygunn #3.

© Eduardo Brito / Wraygunn.
 
posted by Eduardo Brito at 9:20 da manhã | Permalink | 0 comments