10.10.07
seria isto, não?
"O meu pai tinha razão, eu achei a minha ilha do tesouro. Achei-a no meu mundo interior, nos meus encontros, no meu trabalho. Passar a minha vida com um mundo imaginário foi a minha ilha do tesouro. Claro, é verdade que os mundos que eu visito ao sabor das minhas buscas podem por vezes ser julgados pueris ou inúteis, tão distantes se acham das preocupações quotidianas, mas quando me acusavam de ser inútil, e no que eles julgavam ser útil, então, perante eles, não tenho apenas o prazer de ser inútil, mas também o desejo de ser inútil."

Hugo Pratt, Memórias e Reflexões, entrevistas com Dominique Petitfaux, Relógio d'Água, 2005.
 
posted by Eduardo Brito at 4:23 da tarde | Permalink |


0 Comments: