28.9.07
tempos depois.
Foi um fim de tarde em que num instante o sol se escondeu por trás das nuvens que pareciam ser feitas do mesmo algodão doce que se vendia naquela feira, prenunciando tempestade. Com o acinzentar do céu, o alaranjado da terra batida ficou mais vivo. Andamos de carrossel com a alegria de dois miúdos, trincámos frutas embebidas em sacarina, subimos à torre da roda giratória e observámos a cidade a ficar lentamente anoitecida e enublada, a perder-se no ocaso antes da chuva. Temos tudo isto para conhecer, disseste-me quase ao ouvido, e apontaste para a cidade inteira avistada lá do alto.
 
posted by Eduardo Brito at 5:24 da tarde | Permalink |


0 Comments: