1.9.06
primeira imprecisão.

Por muito que as tuas canções apareçam depois da minha partida, a tua música será sempre parte da cidade onde nunca mais consegui voltar. A atmosfera de cada compasso, da voz, do acorde que vem a seguir a outro acorde devolvem-me o Outono e as folhas que caem, os rios que correm, as manhãs luminosas, os frios fins de tarde, a noite que arrefece as ruas e aquece o interior dos cafés. A tua música é o meu regresso, a tua voz é a cidade que é minha.
 
posted by Eduardo Brito at 1:01 da manhã | Permalink |


0 Comments: